Sucessão de Empresas Familiares

Aproximadamente 70% das empresas familiares não conseguem chegar à segunda geração. Esta é uma alta taxa de mortalidade, e se eles conseguem chegar à segunda geração, apenas aproximadamente 9% conseguem chegar à próxima etapa. Há várias causas para que isso aconteça, e uma delas é a falta de um planejamento sucessório da empresa familiar.

sucessão de negócios familiares
Escrito por

Este posto também está disponível em: English Español Deutsch Italiano Português Français Русский 日本語

Tabela de Conteúdos

A importância da Sucessão da Empresa Familiar

A sucessão na empresa familiar tem sido uma questão muito discutida, debatida e analisada, uma vez que tem sido considerada como uma das situações que mais afetam a empresa. É considerado como um problema, mas deve ser tratado como uma fase de transição inevitável em qualquer empresa. Sucessão é testar a maturidade da empresa, o quão bem posicionada está no mercado e o quão pronta está para se adaptar aos projetos próprios e familiares da empresa.

Empresários que analisam o futuro da empresa e criam um plano de sucessão antes do tempo conseguem uma transição bem sucedida. Enquanto os empresários que vivem o dia-a-dia sem planejar e medir a direção da empresa podem ter maiores problemas na entrega geracional.

Pode haver fundadores que queiram manter o controle do poder e das decisões da empresa, assim como mencionar que estão cansados de anos de trabalho mas não delegam responsabilidades e não aceitam apoio para realizar suas tarefas. Tal situação iria complicar ainda mais o plano de sucessão.

Empresa familiar
Uma tempestade de ideias familiar.

Por que é importante preparar uma sucessão de negócios familiares:

  • Evitar conflitos familiares.
  • A escolha e preparação do sucessor.
  • Conhecendo os custos da sucessão.
  • Gerar um plano de longo prazo para projetar o negócio familiar.
  • Criar um plano para a aposentadoria do sucessor.
  • A sucessão é um processo longo e complicado.
  • Antecipar futuros conflitos entre herdeiros.
  • Evita procedimentos caros, complexos e demorados.
  • Uma sucessão bem planejada é mais provável para garantir o sucesso do processo.

O plano estratégico deve ir de mãos dadas com o plano de sucessão, já que as novas decisões serão tomadas pelo sucessor e com um plano já estabelecido será um caminho muito mais fácil de seguir, já que a empresa já estava caminhando para um lugar pré-estabelecido.

A sucessão não é uma situação fácil de realizar, por isso é importante que todos os membros envolvidos tenham uma participação ativa, transparente e ordenada para gerar uma transição harmoniosa dentro do grupo.

Porque é que o planeamento da empresa familiar deve concentrar-se mais na família do que no negócio

A natureza complexa que envolve a empresa familiar faz dela uma organização especial, devido aos três elementos que a compõem. A empresa, a família e a propriedade dão o valor único a este tipo de negócio, e os pesquisadores nesta área deram mais importância nos últimos anos à análise destas organizações para saber como elas se comportam.

Como qualquer outro negócio, as empresas familiares têm ou deveriam ter um plano de negócios para ajudá-las a gerir e fazer crescer o seu negócio. No entanto, o planeamento da empresa familiar deve ter um maior enfoque no aspecto familiar, em vez de se centrar no negócio.

Aqui é mencionado o porquê de ser este o caso.

1. As relações humanas são emocionais, os números são racionais.

Empresário com excesso de trabalho e stress

Se o negócio está indo bem, ele lhe dirá com as receitas e lucros, e se o negócio está indo mal, ele lhe dirá com as perdas que tem. É uma equação de duas vias.

No entanto, numa empresa familiar você tem que interagir com os valores, pensamentos, ideologias e sentimentos dos membros da família. Diz-se que você deve colocar os sentimentos de lado e concentrar-se apenas no negócio quando está dentro, e vice-versa quando está em casa.

Mas, o que realmente acontece é que muitas famílias envolvem tudo, então você deve ser inteligente para controlar as situações emocionais e evitar que elas causem impacto no negócio.

2. As famílias podem crescer mais rápido do que a empresa.

↟ A filha ajuda o pai trabalhando na sua oficina de reparação automóvel. Empresa familiar

As necessidades de alimentação, casa, transporte, escola, novos nascimentos e outros membros da família tornam-se importantes para os envolvidos. Se a empresa não for financeiramente forte o suficiente para fornecer a renda necessária para a família, então deve ser planejado como eles podem fazê-la fora da empresa, ou o que eles devem fazer para fazer a empresa crescer.

Muitas vezes se comete o erro de que o dinheiro mesquinho da empresa é o dinheiro mesquinho da família, e se não for bem controlado, pode descapitalizar as necessidades do negócio.

3. A harmonia familiar pode impulsionar o crescimento da empresa.

Grande colheita, colheita de frutas e negócio familiar

Se existem argumentos ou divisões na família que estão trabalhando dentro da empresa, isso pode dificultar ou até mesmo resultar em não trabalhar na mesma direção.

Priorizar a harmonia no planejamento da empresa familiar poderia envolver os membros na busca de uma forma de gerar trabalho em equipe, com uma divisão correta do trabalho e funções estabelecidas.

Sem dúvida, será mais fácil trabalhar em um ambiente de trabalho e família saudável.

Estrutura metodológica para a criação de um plano estratégico na empresa familiar.

Neste artigo vou tomar como referências diferentes bibliografias que mencionam o que está incluído no planejamento estratégico de uma empresa familiar. Dentro das referências, são mencionados aspectos importantes que um planejamento estratégico deve incluir.

Os principais autores sobre planejamento estratégico são John Ward, Stephen Lawrence e Frank Moyes.

Os autores Acosta e Perez (2010, P.85) em sua pesquisa sobre Planejamento Estratégico em Empresas Familiares, referem-se à Ward mencionando que a metodologia para o desenvolvimento de um plano é a seguinte:

  1. Ter um raio-x do estado actual da empresa. (SWOT)
  2. Estabelecer o compromisso familiar com o futuro da empresa para garantir o planejamento.
  3. Realizar análises financeiras para conhecer a saúde do negócio.
  4. Realizar análises de mercado para conhecer a saúde e identificar várias alternativas que podem ser seguidas na empresa familiar em termos de gestão, geografia, qualidade e produtividade.
  5. Conhecer os objectivos que a família deseja alcançar.
  6. Selecione a estratégia: Exploração de pequenos mercados, foco no cliente, entre outros.
  7. Avalie os interesses da família.

Os autores Lawrence e Moyes (2004, P.3) mencionam que os principais elementos para um plano de negócios bem sucedido são os seguintes:

  1. Sumário executivo.
  2. Resumo da empresa.
  3. Serviços e produtos.
  4. Análise da indústria e do mercado.
  5. Plano de marketing.
  6. Plano de operações.
  7. Plano de desenvolvimento.
  8. A gerência.
  9. Vantagem competitiva.
  10. Plano financeiro.
  11. Fontes de financiamento.

Portanto, um quadro metodológico reduzido para a criação de um plano estratégico para uma empresa familiar pode ser o seguinte.

  1. Conceito de negócio. Isto pode incluir a história da empresa familiar, o modelo de negócio e uma breve descrição dos seus produtos ou serviços.
  2. Análise do mercado e da indústria. Mostra os antecedentes da indústria, uma análise PEST, a análise das cinco forças competitivas de Porter e o benchmarking competitivo.
  3. Fundamentos estratégicos. A missão, visão e valores da empresa e da família, assim como um SWOT e um Balance Scorecard.
  4. Estratégia de marketing. A realização da segmentação e o desenvolvimento dos 4Ps.
  5. Estratégia financeira. O estudo de indicadores financeiros, análise de vendas e projeções de demonstrações financeiras.

Com base nestas secções, é possível obter a abordagem dos objectivos específicos do projecto que uma empresa necessita. O ideal seria complementar o plano com a realização do protocolo familiar para cobrir as necessidades específicas da família.

Referências

Acosta, A. y Pérez, A. (2010) La planificación estratégica en las empresas familiares. Obtenido el 01 de Abril de 2015 Uniroja
Lawrence, S. y Moyes, F. (2004) Writing a Successful Business Plan. Universidade do Colorado em Boulder. Obtenido el 22 de Mayo de 2015 de Leeds Faculty
Mais sobre Planejamento de Negócios.