SEO: dicas para fugir das “zonas cinzentas” nos construtores de sites

SEO: dicas para fugir das “zonas cinzentas” nos construtores de sites
Escrito por

Este posto também está disponível em: English Português

Tabela de Conteúdos

PNG  IHDRmPLTEefgfffdhjfffeghffffffdhkbkpdgidhjeggfffdikffffffffffffffffffalrdhkfffffffffffffff_nxRvffffffffffffchlfffffffffOwfff[t^r~ffffffffffff]sffffffffffffUr`r|fffOzTtffffffffffffbyffffff@`ffffff\s` fffP??{Azfff_V_DxLza{fff_fff^:~`fff` `QLFKO"&fffa]{_W^ET_UT(_#?'@-`a\(UM35:]fffN_:G5V8N3)60U_-V_G*5fff" E`T_/_L3)M4^"&@@G@R219*1D0;2I?C1NA5tRNS( ?O9.~$Fxo 3WN4*-͞7'jT=Sg8ۣzk[F0skqhbq_Y>îe_SٔodLICؿ]ZǺ{_OIµ˶DŸwʦЯ"<<'gIDATxMHag\t-ͯJ4S4/#RJ0mVXfVPGAQAn]!A=[n .FK qޙgvc1by?׾5oT{J,UyZ;0-לV%e*[IuVr )1=?RNb GE\r׀60 88暷 ې:Y vnU.ڭ\\l=vUMd`.dз;7*y[mtiCZ!|w ŌaC] **0RJuW&0rs:~hAIeFvoFPRnZK͚ט &WPQ1D$dݰn]wi-Ϊdjsm.RrY6hw6t#!&RZ>hر PRT&;,/*Til9X2AImAV@Y-m7Bv]BT@p#w8 BdݓMHem# h&A]|n.fe.l(#4BJO KS,چGFnXPIc2AK!:N{::A|A&U1@LNہT@f8 tTTTeXAϼ0>lB"*6>֡2; }r1s~Y 芹O[;~T&'6&Ow\mlk0lTV Q.lt1;접O>Ybݱww7؊Tvm:fg O&*+ ڑG\vޛq\Q!Alqdm3F.!!j;csR'Ϸܔ1וEbB d9n`<9>r ;vKqj̀JK2dloq.wPǩ!}@&O[Gc8qx{YqkLJ},xfy%;YRN7cPǷFT*'U'{Xy!qd}R|iB`0fb\z;^)@5{4Ybw̎`|89"/f`0qJ]Rș s:PNf^>6r9ðUY*% Z>惏NweMe<ˢ\6R3d~0eTm"h&GxbXڜ:^;vPuhS9zjew@}G&'czI*y=%l$f(h;ߎ߾}LW.fLJ\vxh3ege$JEg=@1qd;~%?Pn=𸧧F ؄jVpܕۭ*9xuO}Af;N49Go_pѵX3*J(\jj*Jױ;_Ą{u8ul?_w@H:uzf t8p}zP9tMSm!ι^5ގGF<'X: J|@֕/_>y|r@ 'Pnx;󨨪8Ʊr̖!+:iPia!XvPR)4\rϥIͥ4K\p+9.KINhe{}s|Ùgソ.ԣBC1Y}9**ZT2߸t/Jek"e'\R9T6.Ic^%Y &)vhuč Gڎ=#FeVl4ܹszglmʙxR&w1j &0zFx{‘6X]= /7?Lq<}zcPÇ9Y88Uz&;{l`F-vdF9ّc $hctp<XMx\xzɖ̅HhcX۾pד=rխ3l1ozFkҒ [sÄ^g<go] GL!?ueN]ĎY5XSxq3r9>aϹtxxh4HgQQlMHcE.!g9z,ǚ^WƑL.ŀNEg6xZ'cO? 9 r I|zjsV '7xu%ǿT۝2Od̰]0rm Mc[Lv-WM29d&'"|zٶ#kk}82#kΑ#n}s{}@1%y rBtB[982'Ǐm@#:Aވo~*tZrM_~@8%doX`D9օGd9 Lr̰iK!.CtA9 Fce*~kSZƢ/x%G?x0\89> 8NRJUMc w8vfSS1QL-fF9MKN G6Ρ9 [aMLY_Am ߡ;j}=@p#ˑ4ǁ z/؁1?c? +"GDOq8D3L@)EuzȘ*=Ԏ:h[鑮W;W!V0jEXʹmFL=hQuuV?f{Q Btqy?R8mG27z9T~ @Ϗ'q%>p̳O\;c6XrĽQdXͬ8tW5`9,G$.T91c;/7Y#LV)Ws9]v34BtzO# P[:v즕nĎ#fmrxgqJ18xr08τ5'4r[]V1. ̠趣sqkc ÷džUĎ +02n%DŽvDY+Vh;U6:^T_Eؙdkpq\M.8&pDVuML;X#>`$vD9vU帅E5NkZyBq> F;Q;( (;#ÑM5ȘKK)fhNƐmVMZN3PvwY)v,縞5\4:^01vp0qzvXѺQ97͎#Hq|AQqSk JT)G&( `j[]/I*jĺD?M{kiq1;V@;G9"jZMio#av|aSN]G9YG6 fjW9~|z׎{ G'Pɪ PKJb5LUȖけ/=Gf#`D;<}`'M*8:QpQ1;e_j2ʱTPKV/9 bh#iH]zdcI{2g8R.sԮy v9*2#"p8Br~^ell+cϽѤK[s~vd9**ʱg*+qkPZ#8R4gGveWh fJѺ؍lTڎW!J68 űrF8b[sfi)uMKc2v8 9.0NE(ǩJ=#7ԋSbiaњu'Z`1 W["ʁEM R91 <*uar˙C Hʱpđ]MF* MsR\]%K$8N8n bjQoٔGV-re*Hs U9k󙕄|rq,8Uc\h9х&0PAU<bY&S*8?Y$ณ) 1vj~ԯCsq(±r 09H<-!(~f&r59fǞjrLh8PsG#c>kYR_KCƄRP̺{h0N3"`=,Fܰhp$v5L0ڄr\ ^Ց8rk 5/g ׁСX(]kLM,Gbǰ#'Tqj!S((ҾpDkTPHDZbz WGMG-s4t(w 8/m(HA1AJ8qNgZq*t A7^$)t!GoDKVlfr,Ze,G1o;-,.VE1ꄈ#h:svG4;C3v{@J=$7(aj‘s\ФO8QWc:pݬ:ui#QQ>Qc IJ$4Wq D]y9KV㄀ Uz3troXpdb@8̱ G&بk4?r !s,r‘mQOc@9ƹN+W{^P8\*p48hr 09`1x J_V]0\d8iw#"a>>@n÷#A8N 9+w|qlOOAn6[oy̤ys|Ax@Gn#8#Rdr|x#>Uv koWokTVϱG~q t 9'G=T^9t'ƑMdN vcjGh Ȭ܅1S7u#z>"k5㲘Kt+qԵ0L?i1U>^ #En #qвOsƯ_X@p2w9Sr9>FnL5Cc) z}m sB?%'>7 ሕ9d#ֻ7JwCG"c' 2W9,`M|s[P4ǨJ䈹6U@8n.AXPp|@:*.4&_-0jPֵOH]p$ѲJoR/ΡYd૜>Џ #p,˂4j oSF(f8*uwf1.Ea_U3Kk7j"C}7=vZ3c.FlD/"^yOވ'mi{Em4s>3MpQ1@ї ü}z4OAp~URū0G\-qmу[r:zOqT?BADܖ9ЙN}dD煰ƨ|-ۣ[,')yD/Ԡ~jS% ,F}LϠ(j8JqiN1]w,Ï$#Q A;>dGK=AE鞵݇ fd_P;gi͸: x< @$5lT,Mwy7;sz(Hvr qO6r.2FA$iN9e<lڪXk/1/czүsIGRq0UZ`9-x.$^$q3D#nҪWy hP,".dx[;;whnPƦ*F;[QMf,!j'msOWQ1QqaA KA7:Ea޴瑰<3D%RveYHd,$FHGeHKV[O=´ +["KY*Q֏JH62Tt&&H<8фxDT%{ڒ_uU^x1φ(Cr=L`:{qYv@rytj[:3br9q@E5ɥ=p^r4#C+CB(aM(Hk'\ v #FX9~X] jZRq|. OI8o 2ook+Mu8Θ"m86!^oVXA`7Op^Ҫv S5~;8tS#@ٻOo&.h~+ g欓7yH{_^"+/,0G/'OKW_={Ol*&UE=їUc&{pc OX#E1یA3e-#Km!z=1zlF1py5f^A[jVEqO91{|rfӹI$z\d^o8F&$*ڭN~CseSD # X<)9ӵ7O;ݔκSFj݂HެIy19F<Mf+m@GEnKڸiiQWxthI[0Ƌ|B:qȣHHyV;h"5𡀧hx@l:`:F}s΋#C<˰bƁQ28Q];FEG3.cicA֟V1(6B@.ݣ.qB8ٔ?uX%ӱfJMSFNHͪ;;"xpY9PFcGխ[w~F5ѭp) a<Vqq1ys/b+Dz[DDpħqb 7ѓdQh70tƤ{e-:x,GuX.S^ o\~u֮q4Pz-X>#-f[ܳRVWDX5JWKnhժţh)[6~Ml6>rvTa60 ֫cENRMtp)5(nSPun$L˫Tis@!۴ Zup=wzwK)7(O N0u!ıvØH +}^2e&խ2!/VӍ֟OLs2kS(,U$*BIENDB`

Ao fazer pesquisas em plataformas como Google, Bing e Yahoo, as pessoas costumam encontrar o que procuram logo nos primeiros resultados indicados. O internauta pode até não se dar conta, mas essas páginas não aparecem no topo dos buscadores por pura coincidência.

Os motores de busca contam com algoritmos próprios, que avaliam sites com base em critérios de Search Engine Optimization (SEO). Por meio dessa análise, eles conseguem verificar a qualidade das páginas e conferir se o conteúdo delas realmente faz sentido para a pessoa que está fazendo uma pesquisa. Caso o resultado seja satisfatório, as chances de aparecer entre os primeiros resultados de uma busca aumenta consideravelmente.

A boa notícia é que existem uma série de técnicas de SEO que podem ser aplicadas no dia a dia e funcionam em diferentes serviços de hospedagem. Isso significa que as estratégias podem trazer benefícios reais, independentemente do construtor de site usado para criar e gerenciar uma página – aqui você pode encontrar mais informações sobre alguns serviços confiáveis. Abaixo, confira dicas para otimizar sites e melhorar seus ranqueamentos em buscadores.

seo or search engine optimization concept
handsome young seo manager using smartphone and computer at workplace

Sites responsivos

Um dos objetivos do SEO é garantir que as publicações atendam às necessidades dos internautas. Por isso, é preciso ficar muito atento aos comportamentos e hábitos das pessoas na web.

Segundo a pesquisa TIC Domicílios, realizada em 2019, 74% da população brasileira com 10 anos ou mais tem acesso à internet. O levantamento indica que os smartphones são utilizados por 99% destes usuários, sendo que 58% do total navega exclusivamente por meio do celular.

O número faz um alerta importante: é preciso investir em estratégias para criar sites responsivos. Isso significa que todas as páginas da web devem funcionar bem em navegadores de desktops e notebooks, mas também precisam oferecer boas experiências ao grande grupo de pessoas que acessa a internet via smartphones.

Atualmente, o algoritmo do Google enxerga a usabilidade mobile como um fator importante de SEO. Ele analisa o estilo de navegação dos sites e dá destaque aos que oferecem as melhores performances em dispositivos móveis.

Palavras-chave e secundárias

white stickers with the words seo and keywords on a yellow background attached to a rope

Selecionar e utilizar palavras-chaves em diferentes conteúdos é uma das melhores estratégias para se dar bem com SEO em qualquer construtor de sites. Com base na análise desses termos, os algoritmos dos buscadores conseguem identificar os assuntos abordados nas postagens e definir se eles são relevantes para o público.

Atualmente, é possível encontrar uma série de ferramentas online que auxiliam as pessoas nas buscas por boas palavras-chave. As plataformas SemRush e Ubersuggest, por exemplo, permitem que as pessoas consultem termos e indicam quais deles são os mais buscados pelos internautas.

As palavras-chave devem ser usadas no título do post e em subtítulos. Elas também precisam aparecer várias vezes (de forma natural, para não prejudicar a leitura) ao longo do texto e marcadas em negrito.

Também é possível adotar palavras secundárias que tenham relação com o tema central da postagem. Uma boa dica é usar o próprio Google para escolher esses termos. Basta jogar a palavra-chave no buscador e descer até o rodapé da página. Ali, é possível conferir uma série de pesquisas relacionadas. A partir daí, basta analisar as que mais combinam com o tema e tentar encaixá-las no texto.

Formatação do texto e tamanho

group of high qualified young specialist working at seo department

A formatação do texto é um fator muito importante para o SEO. Por isso, é preciso estar sempre atento a fatores como as Heading Tags, que funcionam como marcadores para estruturar o conteúdo das páginas.

Os títulos das postagens, por exemplo, devem ser adaptados para o formato H1. Já o H2 é indicado para subtítulos. H3 e H4 podem ser usados para criar subtítulos dentro de subtítulos.

Também é necessário ficar de olho no tamanho dos textos. Especialistas recomendam que eles tenham de 600 a mil palavras.

Slug

close up of hands contemporary website developer man typing and writing code for program

O slug (parte do link de acesso que aparece após o nome do site e a primeira barra) também tem um papel importante em estratégias de SEO. Otimizá-lo da melhor forma possível é uma das chaves para obter melhores ranqueamentos em sites de buscas.

O ideal é que o slug seja o mais curto possível. Ele deve fazer referência à palavra-chave e ao tema da publicação. Assim, os algoritmos conseguem identificar o assunto da postagem com maior facilidade.

Cuidado com as imagens

scared emotional curly haired woman stares at camera and covers mouth with hands cannot believe her

Além de adaptar o texto, é preciso ter um cuidado especial com as imagens que serão usadas em cada postagem. O primeiro passo é garantir que elas não sejam muito pesadas. Isso porque fotos grandes demoram para carregar e podem comprometer a experiência do usuário.

O ideal é tentar reduzir o tamanho dos arquivos, mas sempre sem comprometer a qualidade da resolução. Normalmente, fotos entre 70k e 100k funcionam bem visualmente e ainda garantem uma boa performance em relação ao SEO.

Para que os buscadores valorizem ainda mais o conteúdo, vale a pena nomear as fotos com a palavra-chave do artigo e preencher o campo Texto Alternativo, uma ferramenta importante para auxiliar a navegação de pessoas com deficiências visuais. Ali, é necessário descrever o que aparece na foto (de preferência, usando a palavra-chave).

Links

Link building

Os motores de busca dão preferência a conteúdos que apresentam links. Eles funcionam de forma complementar ao texto, permitindo que o visitante aprenda ainda mais sobre assuntos citados na publicação.

Os links internos, por exemplo, levam os internautas para outras páginas dentro do mesmo site. Já os externos direcionam as pessoas a outros websites com conteúdos relevantes e podem ser usados em parcerias de divulgação.

Plug-ins

website creator

Recorrer a plug-ins (pagos e gratuitos) também é uma boa opção. O Yoast SEO, por exemplo, ajuda quem produz conteúdo para sites em WordPress. Com ele, é possível avaliar se o SEO da postagem está ruim, mediano ou bom, além de verificar quais pontos da publicação ainda podem ser melhorados.

Com as dicas citadas acima, é possível aprimorar muito o trabalho de SEO em diversos tipos de sites – desde blogs de grandes empresas multinacionais até páginas de pequenas marcas regionais. Aplicá-las no dia a dia ajuda a impulsionar conteúdos de forma orgânica e melhorar ranqueamentos em buscadores como o Google.

Mais sobre SEO.